terça-feira, 24 de agosto de 2010

Delirando...

A cidade dorme. Meu corpo vaga nas pedras das suas formas.Meus sentidos ultrapassam as medidas do tempo
Para sentir-te, mas perto com o auxilio do pensamento
A te colocar sempre ao alcance de meus desejos mais cínicos e opulentos.

Meus olhos deliram.
O sabor de bocas estranhas me desperta a ti.
Sentindo-te nas mais diversas formas de desejo
Tenta-se a mais difícil forma de tortura ao sentimento:
Tocar-te em vida, quando o que resta de ti
São as lembranças de um passado que insiste em não voltar.

[[CARLOS FARIAS]]

4 comentários:

  1. Priboooo, adorei!!
    Que delíriooooo!! Muuuito vinho no juízo fz dessas coisas! rsrs

    ResponderExcluir
  2. Gente, que poética mais clara e ao mesmo tempo obscura! é bem vc, adorei!

    ResponderExcluir
  3. Sempre gostei desse texto Tony!
    :)
    Bem foda!

    ResponderExcluir